sexta-feira, março 31, 2006

Memórias #1

já é manhã. Ainda é cedo mas o sol está já alto e entra e aquece de uma forma incontrolável o quarto amplo.
A cama larga com mais de 2 x 2m, com uma cabeceira toda trabalhada em ferro, com motivos florais, fortemente pregada à parede, e o quarto em tons fortes, quentes, pintado a vermelho esponjado, creio.
O ar estava saturado e era difícil respirar, mas o cheiro do mar e a paisagem paradisiaca ajudavam a suportar o calor infernal.

Passavam algumas horas do início de uma nova vida. E lá estavamos. Deitados, nús, estafados de uma longa noite, a primeira de muitas de uma nova vida.

Já passaram quase oito anos e recordo-me dessa manhã como se fosse hoje.
São momentos breves, mas que nos marcam a memória para sempre.

Nunca me tinha acontecido antes, e não voltou mais a acontecer.

Ele acorda-me de um sono profundo. Estava a chorar convulsivamente e não conseguia deter as lágrimas. Com o que sonhava, não sei. Não conseguia lembrar-me, era como se estivesse a acordar de um sono limpo. Não havia sonhado com nada, mas mesmo assim não conseguia parar de chorar.

- Porque estás a chorar?
- Não sei. De felicidade talvez, estamos no paraíso. - Esboço um sorriso, mas não consigo parar de chorar.

Cacun. Junho de 1998 (ainda hoje tenho de tirar a aliança para verificar a data. E já passaram quase 8 anos).

Sem comentários:

Analytics